Contusão, queda, entorse… lesões da cartilagem ganham tratamento

Subcondroplastia preenche a lesão óssea para gerar cicatrização do leito ósseo abaixo do defeito cartilaginoso. Procedimento pode facilitar o retorno ao esporte

Por Adriano Leonardi

Créditos: Getty Images

As lesões cartilaginosas são o grande desafio da medicina esportiva moderna e, infelizmente, afastam provisória ou definitivamente indivíduos da prática esportiva. A lesão da cartilagem (ou lesão condral) pode ocorrer por um trauma, como contusão, queda de altura ou entorse. Uma vez lesada, há deterioração deste tecido, que perde a sua regularidade e plasticidade.

Lesão comum no joelho pode reduzir o desempenho e afastar atleta da corrida

Estes estágios de alteração da integridade da cartilagem vão desde o simples amolecimento, passando pela fissuração e fibrilação, até ao seu descolamento completo do osso subjacente, com desenvolvimento de verdadeiras crateras de dimensões variáveis. Por vezes com alguns centímetros quadrados de superfície.

E o resultado disso é a dor, que pode ser desencadeada durante o esporte ou progredir para atividades diárias. Além da dor, as lesões cartilaginosas trazem inchaço. Uma característica importante da cartilagem é que, ao contrário de tecidos bem vascularizados, tem baixíssimo poder de cicatrização por ser um tecido avascular (sem vasos sanguíneos). Uma vez lesado, degenera e causa sintomas, muitas vezes afastando definitivamente o individuo do esporte.

“Joelho de corredor”: você sofre deste problema? Conheça causas da lesão 

Historicamente, inúmeros procedimentos cirúrgicos foram desenvolvidos visando a regeneração da área lesada, sendo a micro-fratura a mais popular, realizada por vídeo-artroscopia. Apesar da maioria dos procedimentos estarem ligados a taxas razoavelmente boas de sucesso, os resultados insatisfatórios levaram ao aumento de estudos sobre a lesão cartilaginosa, levando-se à conclusão de que, muitas vezes, a dor vem não somente da lesão cartilaginosa em si, mas também do osso logo abaixo dela, denominado “osso subcondral”.

Ou seja, o tecido ósseo torna-se sobrecarregado e incha, resultando no que os ortopedistas chamam de edema ósseo. Esta lesão é facilmente vista em imagens de ressonância magnética e é mais frequente em mulheres devido à baixa massa óssea, se comparado ao sexo masculino.

Tendo este conceito em mente, o procedimento denominado subcondroplastia foi recentemente desenvolvido para preencher esta lesão óssea e gerar a cicatrização do leito ósseo logo abaixo do defeito cartilaginoso. O procedimento é realizado com o paciente anestesiado, instrumental próprio e sob auxilio de radioscopia dinâmica. Apesar de ser relativamente novo, resultados de estudos são encorajadores, entrando no arsenal do tratamento das lesões cartilaginosas e facilitando o retorno ao esporte.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: